quarta-feira, 27 de abril de 2016

Esportes Alternativos: Horseball




Um gol no Horseball. Vai achando que é fácil



Um esporte que mistura o rugby e o basquete, por si só, já seria bem fora do comum e, por que não, curioso. Mas adicione o polo – o equino, não o aquático – a essa equação e, com um cavalo na brincadeira, a coisa fica extremamente interessante. Aliás, brincadeira não: o horseball é um esporte sério: ele tem a honra de estar no seleto grupo de dez disciplinas equestres reconhecidas oficialmente pela Federação Internacional.

E como era de se esperar, tudo relacionado ao horseball foge do “comum”. Ele surgiu como uma variação do Pato, o esporte nacional da Argentina (!), e foi codificado nos anos 1930 na Europa. Do Velho Continente, o cavalo-bola espalhou para o mundo. Ou quase isso: hoje são apenas dezoito federações filiadas, mas elas são as mais variadas possíveis: Argélia, Argentina, Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, China, França, Alemanha, Grã-Bretanha, Itália, Irã, Japão, Quirguistão, México, Holanda, Polônia, Portugal, Espanha, Estados Unidos e inclusive o Brasil.

No campo de areia de 65 metros de comprimento por 25 de largura, dois times de quatro jogadores (e dois reservas) têm como grande objetivo acertar a bola (parecida com uma de futebol) em uma cesta de um metro de diâmetro. Antes de arremessar a bola, no entanto, é preciso passa-la pelo menos três vezes entre três jogadores diferentes. Cada “cesta” vale um ponto. Ao fim dos dois tempos de 10 minutos, o time que tiver marcado mais pontos é declarado o vencedor. 

                                                  Tentativa de roubar a bola. Parece divertido?


“E os cavalos”, você deve estar se perguntando. Bom, quanto a isso o horseball é bem democrático. Os únicos requerimentos são que ele tenha ao menos cinco anos de idade, esteja vacinado e cadastrado e se dê bem com a proximidade de outros animais. Qualquer cavalo que se encaixe nessas condições está apto a ser uma estrela do esporte.

Se interessou pelo esporte? Para saber mais, uma boa dica é acessar o site da federação internacional: http://www.fihb.net/. Lá há vários manuais e rankings, todos bem didáticos (porém em inglês) que vão te ajudar a se tornar um verdadeiro expert em um dos esportes mais, digamos, diferentes do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário