quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

O Carrossel - NFC

Depois de falar dos 16 times da AFC, chegou a hora de seguir a lista com os 16 da NFC. Sem mais delongas, vamos à lista, às previsões e aos comentários!

NFC LESTE
YOU LIKE THAT? / Foto: Google Images

Dallas Cowboys – Já ouviram falar de “estabilidade na corda bamba”? É bem por isso que os Cowboys estão passando. Depois de se estabilizar como um dos melhores quarterbacks da NFL, Tony Romo (haters gonna hate) se machucou. Outra vez. E aí os Cowboys simplesmente implodiram, ganhando apenas 1 dos 11 jogos que ele perdeu (!!), passando por Matt Cassel, Brandon Weeden e Kellen Moore sob o center. Para 2016, Romo – mesmo aos 36 anos e com mais uma cirurgia no ombro – volta à titularidade. Mas com a 4ª escolha do draft na mão, não é nada improvável que Dallas já se arrume um QB para o futuro próximo.

Philadelphia Eagles – OK, aqui tudo muda. Antes de Chip Kelly ser demitido, minha aposta era que Sam Bradford não teria seu contrato renovado e que Colin Kaepernick aterrissaria na Cidade do Amor Fraternal para liderar seu ataque dinâmico e inspirado no college. Sem Chip, no entanto, as coisas mudam um pouco. É difícil ver um time – qualquer time – oferecendo muita grana para “Joelho de Vidro” Bradford, mas é igualmente complicado pensar nos Eagles apostando em algum dos free agents notáveis do mercado ou oferecendo o franchise tag para a primeira escolha do draft de 2010. Escolher um lançador no draft? Pode ser uma opção. Mas o mais provável é ter o sextanista de Oklahoma de volta, mesmo.

New York Giants – Eli Manning é inconsistente, incompreendido, passou do seu auge ou é sortudo? Há argumentos e contra-argumentos para qualquer uma dessas hipóteses, mas a verdade é só uma: o irmão mais novo de Peyton tem dois Super Bowls no currículo. Além disso, o filho mais novo de Archie é ídolo na Big Apple. Sem controvérsias aqui: o camisa 10 joga nos Giants até sua aposentadoria. Desculpa, Ryan Nassib.

Washington Redskins – YOU LIKE THAT? Bom, entrando em um ano de contrato, Kirk Cousins certamente gosta. Depois de provocar controvérsia em 2012, quando substituiu o calouro-sensação Robert Griffin III com louvor, Cousins entrou em dois anos de semi-ostracismo, alternando interceptações e passes incompletos. Para 2015, Jay Gruden optou por ter o #8 como titular. E não se arrependeu: 9 vitórias e um título de divisão levaram o time da capital de volta para a pós-temporada pela primeira vez desde 2012. Para 2016, Kirk continuará sob o center. Resta saber se com um contrato longo no bolso ou com a franchise tag.

NFC NORTE
 
Quem disse que 100 milhões de dólares trazem alegria para o sujeito? / Foto: Google Images

Green Bay Packers – Alguns times matariam para ter um quarterback como Aaron Rodgers em seu time – e até em sua história (franquias como os Jaguars, por exemplo, tem de se contentar com Mark Brunell como melhor QB de sua história). Então, sem chance alguma de haver uma mudança em Green Bay em 2016. PRÓXIMO.

Minnesota Vikings – Os Vikings, depois da aposentadoria de Brett Favre, apostaram em Christian Ponder para ser a próxima encarnação de Fran Tarkenton. Não deu certo nem com ele, nem com os veteranos Tarvaris Jackson e Matt Cassel e nem com o agora wide receiver Joe Webb. Mas com Teddy Bridgewater, deu. Ele pode estar mais próximo de Alex Smith do que de Cam Newton quando o assunto é mobilidade, mas o segundanista de Louisville é o quarterback do futuro em Minnesota. E ponto.

Detroit Lions – Matt Stafford tem um baita braço. Isso ninguém discute. Mas aparentemente tudo o que ele tem de força física falta de mental. Capaz de lançamentos incríveis (fator Megatron) e de interceptações que beiram o ridículo, Stafford já é, antes mesmo de completar 28 anos, o melhor QB da história dos Lions, e isso já diz muito (lembra do que eu falei sobre o Rodgers?). Talvez (muito provavelmente) ele nunca leve a franquia de Detroit ao seu tão sonhado Super Bowl. Mas nem por isso ele vai deixar de ser o titular em 2016.

Chicago Bears – Na falta de melhores opções – e na presença de um contrato gigantesco que por algum motivo alguém ofereceu a Jay Cutler – o antigo QB dos Broncos continua como titular de Chicago em 2016. Sim, mesmo com a sua cara de desinteressado ou com a tendência de lançar bolas longas contra uma cobertura tripla. Se bem que com Adam Gase de coordenador ofensivo ele mostrou que pode sim ser um bom líder. O problema é que agora todo mundo descobriu Gase – e ele pode estar de mudança em breve...

NFC SUL
"Desculpa desapontar. Passe para o próximo time" / Foto: Google Images

Carolina Panthers – Cam Newton é o futuro MVP da temporada 2015 da NFL. Acho que isso é tudo que você precisa saber, né?

Tampa Bay Buccaneers – Os Bucs usaram a primeira escolha do draft de 2015 em Jameis Winston. E ele não decepcionou. Pra que se estender aqui, então?

Atlanta Falcons – Essa divisão é quase tão fácil de prever quanto a AFC Norte. Matt Ryan tem um bom contrato. Tudo bem que os tempos de Matty Ice parecem cada vez mais distantes e que depois de chegar a final da NFC em 2012 os Falcons pouco fizeram, maaas... não tem como ir com outro jogador além do camisa 2.

New Orleans Saints – Aqui as coisas já ficam mais interessantes. Sean Payton fica ou sai? Se ele sair, principalmente em troca de draft picks, é provável que os Saints apostem tudo em uma reformulação e acabem se livrando também da lenda local Drew Brees que, aos 37 anos, tem um impacto enorme no salary cap, o que pode prejudicar a franquia de New Orleans e fazê-los perder uma grande oportunidade de reconstruir o time. Se Payton ficar, acredito que Brees também fique. Mas, de toda forma, é bom os Saints já olharem com carinho no draft para achar seu próximo titular.

NFC OESTE
 
Hmm... não é bem por aí que os Rams vão melhorar no futuro. / Foto: Google Images

Seattle Seahawks – Duas das três temporadas completas de Russell Wilson na NFL acabaram no Super Bowl. Nesse ritmo, não vai demorar muito para ele estar na categoria de Brady, Rodgers e Newton.

Arizona Cardinals – Carson Palmer. De primeira escolha do draft a QB mediano, a semi-aposentado, a esquecido nos Raiders a... ídolo em Arizona? É basicamente isso que está acontecendo. Mesmo com duas cirurgias no ligamento cruzado anterior, o ex-Cincinnati Bengals teve apenas a melhor temporada estatística de um lançador na história dos Cardinals. Aos 36 anos – 13 deles dedicados a NFL – Palmer vai tentar, no Divisional Round, vencer pela primeira vez nos playoffs. Ganhando ou não, ele é o quarterback de Arizona em 2016 – e possivelmente até se aposentar.

St. Louis Rams – Em Los Angeles ou em St. Louis, a única certeza para a temporada 2016 dos Rams é que eles vão precisar de um quarterback. 15 anos removidos do seu tempo áureo de Greatest Show on Turf, a realidade dos campeões do Super Bowl XXXIV é bem diferente. Já são 12 anos sem chegar à pós-temporada e, sinceramente, com Nick Foles e Case Keenum é bem difícil que esse quadro seja revertido. Embora os Rams tenham um grande running back e uma defesa assustadoramente boa – o sarrafo aqui são as unidades de Arizona e Seattle, colegas de divisão – a equipe de Jeff Fisher peca na posição mais importante. Como o time é jovem, aposto que eles devem draftar um jovem talento saindo do college (que seja menos frágil do que Sam Bradford, por favor) ou assinar com Robert Griffin III – que ajudou a montar o bom elenco do time do meio-oeste – ou Colin Kaepernick, que pode trazer toda a dinamicidade que o ataque dos Rams precisa.

San Francisco 49ers – Falou em um time que precisa de um quarterback? Falou dos Niners. A primeira temporada pós-Jim Harbaugh foi um fracasso retumbante. Jim Tonsula, o novo comandante dos Gold Miners, foi demitido depois de apenas 16 jogos. Kaepernick, que jogava muito nos tempos de Harbaugh, virou um versão imprecisa com o braço, fraca com as pernas de si mesmo. Metade do time que terminou a temporada 2014 ou se aposentou ou teve problemas com a lei. No fim das contas, San Fran terminou o ano com BLAINE GABBERT como quarterback. Sim, Blaine Gabbert. Com um técnico novo, uma pick alta e um time em frangalhos, a palavra aqui é reconstruir. Um dos bons QBs do college deve pintar no Levi’s Stadium em 2016. Isso se Sam Bradford (um palpite pessoal) não acabar assinando um contrato.


Gostou da lista? Concorda ou discorda? Conte pra gente nos comentários! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário